IA será essencial para o sucesso da cadeia de suprimentos em 2024

0
83

IA será essencial para o sucesso da cadeia de suprimentos em 2024

Especialistas da Overhaul, líder global em gestão de riscos de supply chain, apontam algumas mudanças e os desafios esperados para este ano

Brasil, Janeiro de 2024 – A cadeia de suprimentos e o setor da logística devem ser impactados com algumas mudanças e avanços significativos em 2024.  Especialistas da Overhaul, líder global em gestão de riscos de supply chain, apontam algumas mudanças e os desafios esperados para este ano.

  1. Inteligência artificial (IA) para atenuar os riscos

Em 2024, a Inteligência Artificial terá um foco ainda maior nos níveis de liderança dos expedidores e fornecedores de logística. A capacidade de aproveitar dados históricos e atuais para prever eventos futuros irá alterar a natureza da forma como as cadeias de suprimentos reagem e planejam o futuro. Essa ferramenta será essencial para organizar dados e processos e dar visibilidade na logística de ponta a ponta.

“Acreditamos que haverá um aumento nas soluções que oferecem mais capacidades cognitivas. Isto vai reunir fontes de dados díspares para fornecer novas informações e conhecimentos melhorando todo o processo de supply chain e segurança”, revela o gerente de Inteligência da Overhaul, Reginaldo Catarino.

  1. Sustentabilidade 

Outro ponto muito discutido e que precisa estar no topo das ações de logística é a sustentabilidade. Adotar ações e processos que cuidem do nosso ecossistema à medida que os efeitos das mudanças climáticas se tornam mais evidentes, tem sido um objetivo central para muitas organizações da cadeia de suprimentos.

“Sabemos que o setor de transportes está entre os que mais impactam o meio ambiente, por isso, buscar alternativas para neutralizar as emissões de CO2 e adotar medidas sustentáveis em todo a cadeia tem se tornado cada vez mais urgente”, revela o diretora Geral da Overhaul Brasil, Fabio Marton.

  1. Economia

Em 2024, as cadeias de suprimentos continuarão a enfrentar desafios causados não apenas pelo impacto das mudanças climáticas, mas também pelas questões geopolíticas e conflitos. Este período de mudança irá testar a eficiência, integridade e capacidade da cadeia de suprimentos. O impacto econômico terá implicações de grande alcance, afetando países de todo o mundo.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê crescimento econômico brasileiro de apenas 1,2% em 2024, um índice abaixo dos anos anteriores. Todavia, o governo do Brasil defende que essa estimativa é conservadora e está abaixo da média de mercado.

“Apesar destes desafios, os gestores da cadeia de suprimentos podem resistir às dificuldades de 2024, procurando novas parcerias e modelos econômicos,  dando visibilidade a cadeia e otimizando os processos, assim como foi feito durante um dos períodos  mais críticos para a logística no mundo – a pandemia da covid-19”, destaca Fabio.

  1. Segurança

O roubo de bens é um obstáculo para os gestores da cadeia de suprimentos. Em 2024, a tendência, segundo o último documento do “Brasil: Relatório de Roubo de Carga”,  é que as ocorrências de furtos e roubos de cargas sejam ainda maiores, por isso, este é um ponto de muita atenção.

 “O transporte rodoviário continua sendo o principal modal para o transporte de cargas e com isso, a  infraestrutura permanece enfrentando desafios de falta de manutenção e segurança. Com esse  cenário e a retomada da economia, o aquecimento do setor de logística, e as novas formas dos criminosos se infiltrarem nas operações,  podemos esperar um aumento no número de roubos de cargas em 2024”, informa Reginaldo.

Para Fabio Marton, muitos desafios e obstáculos de 2023 continuarão em 2024, no entanto, ele adianta que a cibersegurança continuará a ser uma prioridade, uma vez que os criminosos procuram infiltrar-se através de hackers ou manipulação de dados.  “Apesar destes desafios, a importância da perseverança e a procura de novas alianças e modelos econômicos são estratégias-chave para ultrapassar as dificuldades”, afirma ele