Wilson Sons realiza nova docagem de navio da Norsul em seus Estaleiros no Guarujá

0
56

Wilson Sons realiza nova docagem de navio da Norsul em seus Estaleiros no Guarujá

Operação envolveu 150 profissionais e o apoio de duas outras unidades de negócio da companhia: Agência Marítima e Rebocadores

 

   

Wilson Sons realiza docagem de navio da Norsul em seus estaleiros no Guarujá (SP)

 

Maior operador de logística portuária e marítima do mercado brasileiro, a Wilson Sons concluiu, em fevereiro, nova docagem da Barcaça Norsul 9, navio da Norsul, nos estaleiros da companhia no Guarujá (SP), no Porto de Santos. Esta é a terceira vez, desde 2021, que a Norsul, uma das maiores empresas privadas de cabotagem do Brasil, escolhe a Wilson Sons para fazer a manutenção planejada de suas embarcações.

Com sua excelência operacional e o foco nas necessidades específicas de clientes como a Norsul, os Estaleiros da Wilson Sons registraram forte crescimento no ano passado. O número de docagens, realizadas em projetos customizados e entregues dentro do prazo, cresceu 33%, em relação a 2022, refletindo o maior volume de prestação de serviços aos clientes da companhia e terceiros.

A docagem da Barcaça Norsul 9, iniciada no final de janeiro, envolveu 150 profissionais dos Estaleiros, da Agência Marítima e de Rebocadores, unidades de negócio da Wilson Sons Os serviços realizados incluíram tratamento e pintura – tanto externa, no casco, quanto interna, nos tanques -, troca de chapas de aço e substituição de anodos de sacrifício (de proteção contra corrosão). A docagem é uma manutenção preventiva, realizada normalmente a cada 5 anos, em que a embarcação é retirada da água para passar por uma revisão completa na sua estrutura.

Construída em 2006, a Norsul 9 é uma embarcação de tipo barcaça oceânica, de 123,4 metros de comprimento, 22 metros de largura e calado de 8 metros. O navio realiza transporte de bobinas de aço de Vitória (ES) até São Francisco do Sul (SC), com capacidade para transportar 10.364 toneladas de carga, operando tanto em águas costeiras quanto oceânicas.

“Estamos felizes em ser a escolha da Norsul pela terceira vez. A confiança nos serviços que realizamos evidencia a excelência operacional dos nossos times, sempre voltados para a geração de valor para o cliente e a sua satisfação, buscando superar as expectativas”, disse Adalberto Souza, diretor-executivo dos Estaleiros da Wilson Sons.

“Essa é a terceira docagem que realizamos no estaleiro Wilson Sons e temos tido ótimos resultados em relação à qualidade, segurança e prazo, além da previsibilidade dos custos. Neste sentido, conseguimos manter nossos compromissos com os clientes, uma preocupação constante da Norsul”, diz João Bottoni, gerente técnico de frota da Norsul.

Anteriormente, em 2021 e 2023, a empresa de navegação escolheu a Wilson Sons para fazer a docagem dos navios Norsul 11 e Norsul 7. Estas embarcações realizam, respectivamente, o transporte de bobinas de aço entre a capital capixaba e São Francisco do Sul, com capacidade de 10.328 toneladas de carga, e o transporte de celulose de Belmonte (BA) a Aracruz (ES), com capacidade de 7.599 toneladas de carga.

Há mais de 80 anos, a Wilson Sons atua com seus estaleiros no Porto de Santos, o maior complexo portuário da América Latina. Os dois estaleiros no Guarujá, que totalizam 39.000 m2, são especializados na construção, conversão, manutenção e reparo de embarcações. É a única empresa a possuir um dique seco, no Porto de Santos, oferecendo soluções pioneiras e inovadoras nos serviços.

Dois novos rebocadores em 2024

A Wilson Sons também está em um ciclo de construção de seis rebocadores com tecnologia mais sustentável em seus estaleiros no Guarujá. Quatro deles já foram entregues, a partir de julho de 2022 (WS Centaurus, WS Orion, WS Rosalvo e WS Castor), e os outros dois serão entregues este ano.

Os rebocadores, que possuem mais de 90 toneladas de tração estática, são os primeiros no Brasil com o padrão IMO TIER III, da Organização Marítima Internacional. O novo projeto de casco das embarcações permite reduzir as emissões de gases de efeito estufa, com uma diminuição estimada de até 14% no consumo de combustíveis fósseis, contribuindo para a melhoria da qualidade do ar dos portos onde operam.