Empresas líderes nos setores de varejo e bens de consumo apoiam a transição para o QR Code Padrão GS1

0
41

Empresas líderes nos setores de varejo e bens de consumo

apoiam a transição para o QR Code Padrão GS1

  • 50 anos depois que o código de barras foi escaneado pela primeira vez, 21 líderes das maiores empresas do mundo assinam uma declaração conjunta global pedindo a transição para QR Code Padrão GS1, o que vai revolucionar a experiência do consumidor
  • Entre os líderes que aderiram estão Alibaba.com, Carrefour, IGA, JD.com, JM Smucker, Lidl, L’Oreal, Nestlé, P&G e Savencia
  • A iniciativa Sunrise 2027 visa ter o QR Code Padrão GS1 amplamente adotado globalmente por varejistas e fabricantes até o fim de 2027

Julho de 2024, Bruxelas, Bélgica – Há exatamente 50 anos começava em Ohio (EUA) o que viria a ser conhecida como a “transformação do amanhã”. Era feita a primeira leitura do código de barras que inovou e automatizou os processos de relacionamento entre toda a cadeia de suprimentos e consumidores. Neste momento de comemoração do 50º aniversário da leitura do código, 21 empresas líderes na cadeia de suprimentos – incluindo marketplaces como Alibaba.com, varejistas como Carrefour e proprietários de marcas como Procter & Gamble – pedem a adoção mundial do QR Code Padrão GS1.
 

Gerados pela GS1 – principal organização de padrões por trás do código de barras – o QR Code Padrão GS1 dá acesso a um universo de informações de produtos pouco comum ao público, que agora podem acessar tudo por meio do smartphone. Trata-se de uma revolução na experiência dos consumidores.

 

     
Evolução do código linear para QR Code GS1 é apoiado pelas principais indústrias do mundo

A leitura do código de barras linear, lido pela primeira vez em 1974, tornou a relação entre varejistas e fabricantes colaborativa por meio da GS1. Hoje, essa tecnologia é o método universal confiável para identificação de produtos, com mais de 1 bilhão de itens identificados pelos códigos de barras, digitalizados mais de 10 bilhões de vezes diariamente, aumentando a eficiência da cadeia de suprimentos em todo o mundo. Hoje, os líderes globais da indústria se unem na transição do código linear para o QR Code Padrão GS1, um código de barras 2D também conhecido como QR Code Padrão GS1.

De acordo com João Carlos de Oliveira, presidente da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, “foi impressionante como um simples código de barras mudou o mundo e nosso futuro recomeça com a criação do QR Code Padrão GS1; ele abre um novo caminho para o cadastro de informações detalhadas dos produtos”. Mas o código 2D vai além. “A partir de um scanner na loja ou celular, o QR Code Padrão GS1 cria novas oportunidades para melhorar as operações de negócios, as experiências do consumidor, a segurança do paciente e as iniciativas de sustentabilidade e quem sair na frente agora terá grande vantagem nos negócios”, completa.

Oliveira enfatiza a ação global dos líderes como “um esforço colaborativo que transforma a forma como compramos, comemos e vivemos”. “Vivemos o início de uma segunda revolução do código de barras que define um novo futuro ao varejo.”

Revolução da experiência do consumidor

Ao contrário dos códigos de barras tradicionais, o QR Padrão GS1 conecta os consumidores a fabricantes e produtores com informações que elevam a experiência de compra. Isso inclui instruções de uso, reciclagem e descarte de materiais, segurança, informações nutricionais e certificações. Com informações facilmente acessíveis por meio de smartphones, novas possibilidades se abrem para consumidores, fabricantes e varejistas, com melhoria da rastreabilidade e da eficiência por meio da cadeia de suprimentos. Ao mesmo tempo, a digitalização no checkout se torna mais ágil.

  • Escolhas mais inteligentes: com as informações não mais limitadas pelo espaço da embalagem, o QR Code Padrão GS1 possibilita que as marcas compartilhem informações como tutoriais em vídeo, recomendações, receitas sugeridas ou outras informações relevantes para sua compra.
  • Dicas para sustentabilidade: com a crescente demanda dos consumidores para entender os impactos ambientais dos produtos, o QR Code Padrão GS1 conecta os consumidores a informações de procedência, seus componentes, pegada de carbono e orientações sobre reciclagem ou reutilização de embalagens.
  • Segurança alimentar: o QR Code Padrão GS1 facilita o acesso a informações regulatórias, recomendações detalhadas sobre alergênicos e data de validade. Ações como essas permitem que alimentos vencidos sejam rejeitados no checkout e aqueles próximos do vencimento sejam vendidos com preço reduzido, o que reduz o desperdício.

As empresas precisarão adaptar a tecnologia e os processos internos para aproveitar ao máximo o QR Code Padrão GS1. A adição de informações mais detalhadas sobre o produto em QR Codes pode ser feita gradualmente, permitindo que as empresas planejem mudanças em seu próprio ritmo.

Sunrise 2027

Sunrise 2027 é um esforço inovador e colaborativo para avançar os padrões globais de eficiência, segurança e sustentabilidade nos setores de varejo e bens de consumo. As empresas que uniram forças com a GS1 são uma combinação de proprietários de marcas, varejistas e marketplaces líderes que têm valor de mercado total de mais de US$ 1,4 trilhão. Essas empresas operam em mais de 150 países e alcançam bilhões de consumidores em todo o mundo – caminho aberto para o sucesso do projeto.

O objetivo dessa colaboração é que até o final de 2027 o QR Code Padrão GS1 seja amplamente adotado. Para tal, é necessário um esforço coordenado entre fabricantes e varejistas. Os fabricantes começarão a implementar QR Codes com normas GS1 nas embalagens dos produtos, enquanto os varejistas vão garantir que seu equipamento no ponto de venda (PDV) estejam prontos para ler os novos códigos de barras.

A mudança já começou com a nova tecnologia sendo testada em 48 países em todo o mundo que representam 88% do PIB mundial.

A lista de empresas que assinaram a declaração conjunta global é: 7-Eleven (CP ALL Thailand), Alibaba.com (Taobao & Tmall Group), AS Watson, Barilla Group, Carrefour, Dr. Oetker, IGA, JD.com Group, Lidl International, L’Oréal, Master Kong (Tingyi Holding Corp.), Mengniu Group, Metro, Migros Ticaret A.S., Nestlé, The Procter & Gamble Company, Savencia Fromage & Dairy, The J.M. Smucker Co., Tsingtao Beer Ltd., WH Group (Henan Shuanghui Development Co.) e Yili Group.

Você pode acessar a declaração conjunta global do setor aqui.

Projeção nacional

O Brasil é um dos países que mais avançou na adoção do código 2D pelas empresas, entre elas Stella d’Oro, Supermercado Pinheiro, BRF, Cutelaria Cimo, NuRótulo, Supermercado Savegnado, Supermercado Guanabara, Leroy Merlin, Sistema Campo Limpo-inpEV, Itaueira, Coca-Cola, Nestlé, Sadia, Vapza.

Além das empresas, foram firmadas importantes parcerias da GS1 Brasil com entidades que entenderam a oportunidade de desenvolvimento dos seus setores nesse processo de transição. São elas a Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados-ABAD, Associação Brasileira de Supermercados-ABRAS, Associação Brasileira de Tecnologia para o Comércio e Serviços-AFRAC, Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção-ANAMACO, Produce Marketing Association-PMA, Associação Brasileira de Embalagem-ABRE, Associação Brasileira das Indústrias e Setor de Sorvetes-ABIS, Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização-ABMAPRO.

Há vários tipos de códigos de barras 2D de próxima geração. O QR Code é o mais utilizado no varejo, enquanto o GS1 DataMatrix é comumente utilizado na área da saúde. Para saber mais sobre QR Code Padrão GS1, visite esta página.

Sobre a Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil

A Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil é uma organização multissetorial sem fins lucrativos que representa nacionalmente a GS1 Global. A entidade conta com cerca de 58 mil associados que representam 36% do PIB nacional e 12% dos empregos formais. Em todo o mundo, a GS1 é responsável pelo padrão global de identificação de produtos e serviços (Código de Barras e EPC/RFID) e comunicação (EDI e GDSN) na cadeia de suprimentos. Além de estabelecer padrões de identificação de produtos e comunicação, a associação oferece serviços e soluções para as áreas de varejo, saúde, transporte e logística. Mais informações aqui.