TCP alcança novo recorde nas exportações de açúcar para o primeiro bimestre

0
148

 

TCP alcança novo recorde nas exportações de açúcar para o primeiro bimestre
Volume é mais que o quadruplo do registrado no mesmo período de 2023


Foto: divulgação TCP.

No primeiro bimestre de 2024, a TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, alcançou um novo marco nas exportações de açúcar. Os dados da plataforma DataLiner mostram um aumento de 368% no volume de TEUs (20 pés de comprimento de contêiner) exportados em comparação ao mesmo período de 2023, totalizando 1.422 TEUs, equivalente a 37.268 toneladas do produto.

O resultado vem no embalo do excelente desempenho da TCP na movimentação de açúcar no último ano, quando exportou 151.786 toneladas ou 5.745 TEUs, volume 12.677% acima do registrado em 2022, sendo este o maior aumento porcentual nas operações de único segmento no Terminal.

Acompanhando as tendências de 2023, o principal estado de origem do açúcar escoado pela TCP no início de 2024 é São Paulo (65,4%), seguido por Paraná (25,7%), e Mato Grosso do Sul (8,7%), enquanto o maior destino do produto é a África (59,4%). A novidade vem no segundo e terceiro colocado nas importações: América (22,6%) e Ásia (17,9%) inverteram posições entre os principais compradores.

Comumente transportado no modelo “carga solta” nos porões de navios graneleiros, operação conhecida como “break bulk”, a exportação de açúcar por contêineres apresenta algumas vantagens importantes, como destaca o gerente comercial, de logística e de atendimento ao cliente da TCP, Giovanni Guidolim:

“Nossa parceria com os armazéns localizados na retroárea do terminal permite que Paranaguá ofereça ao mercado serviços de qualidade e personalizados aos exportadores, como armazenagem da carga solta em lugar apropriado, processo de estufagem em contêiner com qualidade máxima e conferência de lotes. O transporte do açúcar por contêineres permite a venda e exportação da carga em menores volumes quando comparado ao break bulk, o que facilita a comercialização para determinados destinos, além da facilidade no embarque e desembarque, uma vez que não sofrem interferências das variações climáticas no momento da operação, situação que pode afetar a operação quando utilizado a modalidade break bulk.”

Os números expressivos alcançados pela TCP neste primeiro bimestre refletem um cenário mais amplo. Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), as exportações de açúcar pelo Brasil até a terceira semana de fevereiro já haviam superado o volume total registrado para o mês completo de 2023.

O Brasil é hoje o maior produtor de açúcar do mundo e foi responsável por quase 50% do comércio global da commodity no ano passado, enquanto outros grandes produtores, como Índia e Tailândia, tiveram suas safras prejudicadas por conta de adversidades climáticas.