Terminal de Contêineres de Paranaguá amplia a capacidade de movimentação de contêineres e fortalece sustentabilidade ao receber novos navios movidos a GNL da CMA CGM

0
30

Terminal de Contêineres de Paranaguá amplia a capacidade de movimentação de contêineres e fortalece sustentabilidade ao receber novos navios movidos a GNL da CMA CGM

Navios de grande porte movidos a gás natural liquefeito (GNL) aumentam eficiência logística das exportações brasileiras para a Ásia

 

A TCP, empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, recebeu na última semana de junho o navio porta-contêineres CMA CGM BUZIOS, o primeiro de uma nova geração de seis embarcações “prontas para biometano e e-metano”, com aerodinâmica aprimorada para atender o Brasil no serviço semanal SEAS2, que liga Paranaguá ao continente asiático. Esses novos navios se destacam por sua capacidade e tecnologia sustentável, em linha com os princípios ESG.
 

O Grupo CMA CGM, um player global em soluções marítimas, terrestres, aéreas e logísticas, já implantou na rota os navios CMA CGM BAHIA, BUZIOS, PARATY, SAO PAULO, BELEM, e em breve trará o CMA CGM AMAZONIA. Estas são embarcações irmãs que levam o nome de cidades e estados icônicos do país e têm as mesmas características: 336 metros de comprimento (LOA), 51 metros de largura (boca) e capacidade para transportar 13.264 TEU (medida equivalente a 20 pés de comprimento de contêiner).
 

Todos os navios dessa frota emitem 28% menos gases de efeito estufa se comparados aos porta-contêineres convencionais, graças ao sistema de recirculação de gases de escape (ICER), ao fato de serem atualmente movidos a gás natural liquefeito (GNL) e também “prontos para biometano e e-metano”. Além da grande capacidade, as embarcações irmãs chamam a atenção pela cor verde e pelo windshield, estrutura que se estende acima da proa, melhorando a aerodinâmica e aumentando a eficiência energética em sua navegação.
 

“A operação destes navios com propulsão LNG está alinhada com nosso compromisso com a sustentabilidade e a inovação, contribuindo para um futuro mais verde e eficiente no setor de transporte marítimo e com objetivo da indústria como um todo de reduzir as emissões de dióxido de carbono, promovendo maior eficiência energética nas operações marítimas. Além disso, essa iniciativa atende a uma demanda cada vez mais importante para o mercado e para nossos clientes, que valorizam práticas sustentáveis e responsáveis.” celebra Carolina Merkle Brown, gerente comercial de armadores da TCP.
 

“A chegada dos navios porta-contêineres movidos a GNL ao Brasil marca o início de uma nova era no setor de transporte marítimo brasileiro, um marco transformador que demonstra o compromisso do nosso Grupo com o avanço das metas econômicas sustentáveis do país. Esse investimento não apenas demonstra nosso compromisso inabalável de superar as expectativas, mas, ao implantar esses navios de última geração projetados especificamente para as águas da América Latina, apoiamos ativamente os negócios e as iniciativas sustentáveis de nossos clientes. Com eles, poderemos atender a volumes adicionais e, ao mesmo tempo, reduzir significativamente a pegada ambiental das remessas de nossos clientes. Isso não apenas se alinha com seus objetivos de sustentabilidade, mas também desempenha um papel vital na promoção de um futuro mais limpo e sustentável para todos”, disse Neusa Marcelino, CEO da CMA CGM Brasil.
 

Outro ponto de destaque para a atualização da frota está no aumento da capacidade de escoamento por Paranaguá: os porta-contêineres com 336 metros de comprimento da CMA CGM estão entre os maiores a atracar regularmente no Terminal, e superam o tamanho médio das embarcações operantes nesta rota anteriormente, que possuíam 299 metros de comprimento.
 

“A atualização contribuirá para o desenvolvimento econômico das regiões cobertas por este serviço, uma vez que será o primeiro serviço a atender dois portos no Norte da China, abrindo grandes oportunidades de importação e exportação nessa área. Entre os mercados que mais devem se beneficiar com a chegada dos navios de maior capacidade nesta rota estão os exportação e importação de carnes congeladas, eletrônicos, autopeças e de produtos químicos e petroquímicos”, explica Carolina.
 

A TCP vem alcançando recordes consecutivos de produtividade e, em maio de 2024, atingiu a marca inédita de 136.201 TEUs movimentados em um único mês. A expectativa é de um ano com novas máximas: em 28 de abril, o Terminal realizou o feito de movimentar meio milhão de TEUs 42 dias mais cedo do que em 2023, ano em que os 500.000 TEUs foram registrados em 9 de junho.
 

Investimentos em descarbonização
 

No último ano, a TCP concluiu a conversão de dois guindastes RTGs utilizados nas operações ferroviárias do terminal, promovendo uma redução de 95% nas emissões de CO₂ na operação de cada máquina e diminuindo em 90% o custo de manutenção dos equipamentos.
 

No mesmo ano, o Terminal adquiriu um novo ônibus elétrico, com capacidade para 80 passageiros. O veículo, utilizado para transportar os colaborados dentro do pátio de operações, que tem 480 mil metros quadrados de área, conta com um sistema de freios regenerativos e garante zero emissões de poluentes.